domingo, 21 de setembro de 2014

Vestir a Camisola


Adorava ser o Ronaldo das palavras, o Mourinho da pontuação ou até, quem sabe, o Eusébio da inspiração…
Atirar as sílabas para o ar e apanhá-las com a cabeça, todas juntas em forma de palavra desejada…
Orientar o espírito na base da alta motivação, não aceitando menos do que o escrito perfeito como resultado…
Concretizar os objectivos com uma espectacularidade digna de levantar os leitores da cadeira, levando-os ao rubro…
Tenho feito estágios por conta própria ao longo da vida mas sempre fora de campo e sem apoiantes a assistir.
Subitamente, vi-me num balneário a espreitar outros mais experientes, a ouvir conselhos e achei que talvez pudesse chegar ao banco.
Todavia, não queria ficar no banco a vida toda. Gostava de dar o litro, de vestir a camisola, só não sei de que cor e muito menos sei se há quem reconheça o meu valor e me ponha de avançada.
Até sabia dizer já a quem dedicar o primeiro golo, só não levantaria a camisola… Mas inventaria uma gracinha qualquer para os festejos imediatos, sem problema.
Qual será o segredo do sucesso? A dedicação, o treino intensivo, a vontade de vencer, creio…
Uma coisa é certa, há que fintar os adversários, que é como quem diz, as dúvidas, os medos, a ansiedade… E correr, correr muito atrás das palavras, apanhá-las no ar, chutá-las na direcção certa e esperar que façam o tão esperado golo.
Sei que tenho um ou outro apoiante nas bancadas e agradeço-lhes de coração cada aplauso mas sonho com a verdadeira onda…
Não faço ideia como e porquê hoje me deu para aqui e espero não levar nenhum cartão vermelho pela ousadia mas tenho quase a certeza que nenhum dos visados me julgaria fora de jogo pela ânsia de tentar. Além disso, já que não há árbitro a controlar, também não há jogos a arriscar.

Sofia Cardoso
23 de fevereiro de 2011

2 comentários: