domingo, 23 de novembro de 2014

Dia Não

Há dias assim…
Dias não.
Tudo está bem,
Até um senão…
Ou tudo começa mal
E continua até mais não.
Cinzentos e escuros
Como o alcatrão,
Ou simplesmente sem cor
Se perdida a inspiração…
Não se sabe quando,
Sabe-se apenas que virão
Mais dia, menos dia
Outros de negação…
Em que reina a tristeza…
E impera a frustração.
Quando se é perfecionista,
Sair da linha é uma aflição.
Vem-se lá do alto
Embater com força no chão.
Fôssemos avestruzes
E a cabeça abriria um buracão,
Nestes dias intermináveis,
Manhosos por definição.
Valha-nos o amanhã
Que o hoje já não tem correção.







Sofia Cardoso
06 de abril de 2011

Sem comentários:

Enviar um comentário