segunda-feira, 9 de março de 2015

Filhos Homens

Esta tarde, na minha hora de almoço, enquanto bebia o meu café e uma amiga folheava uma revista, não pude deixar de reparar nas letras gordas de uma entrevista em que uma mãe, questionada sobre a sexualidade do filho, afirmava o seguinte, a propósito da perda de virgindade do seu filho aos 19 anos: «O sexo é um dos primeiros passos para que os nossos filhos se tornem homens.»
Confesso que fiquei a pensar nas palavras «primeiros passos» neste contexto.
Só aos 19 anos é que deu os «primeiros passos» para se tornar homem e por esta via?!
É que me parece que com esta idade já muitos outros passos deveriam ter sido dados para o qualificar como tal, independentemente de ter ou não iniciado a sua vida sexual, inclusivamente por já ser maior e, portanto, reconhecido e responsabilizado, pela própria lei, enquanto tal.
Há muitas formas de um rapaz se tornar homem e, na minha modesta opinião de mãe só de meninas, o sexo não será de todo uma das primeiras, sobretudo quando falamos de um jovem adulto já com 19 anos.
Muito antes disso, já os adolescentes são postos à prova, sob o ponto de vista da sua personalidade e responsabilidade perante o próximo e perante as circunstâncias da vida, adversas ou não.
Qualquer pessoa devia saber conhecer-se, respeitar-se e amar-se primeiro, para depois saber compreender, respeitar e amar terceiros, homens ou mulheres.
Educação e formação, sob valores fundamentais, no respeito por todos, na honra da palavra dada ou dos compromissos assumidos, deveriam ser os primeiros passos para a responsabilização e é a partir dela que um homem poderá ser considerado enquanto tal, na plenitude da definição.
Reduzir o ser homem ou mulher à iniciação da vida sexual é, realmente, uma forma muito sexista, redutora e até pouco digna, de qualificar tais termos.
Se me permitem, mães de meninos que um dia serão homens, eduquem os vossos filhos nos valores mais elementares e preocupem-se depois com o que a iniciação da sua atividade sexual representa porque, por mais homens que um dia venham a ser a esse nível, ser-lhes-á também exigido que o consigam ser em tudo o resto na vida para se tornarem pessoas realizadas, felizes e bem resolvidas.
Tenho a certeza que, a começar por mim, as mães de meninas ficarão agradecidas.     

  


Sofia Cardoso
09 de março de 2015

Sem comentários:

Enviar um comentário