domingo, 15 de março de 2015

Mouras

A expressão recorrente, no meio de tanta palhaçada, deixou-me a fazer contas e a pensar: “Há mais de 20 anos…”
Pois… A nossa história deve ter, realmente, cerca de 23 anos e muito para contar.
Enquanto uns vão ficando carecas, como ontem pudemos comprovar, achamos nós que continuamos iguais, pelo menos na forma como nos sentimos e levamos a idade a brincar.
No nosso tempo de meninas e moças, não havia selfies, nem nunca fomos juntas ao Castelo de S. Jorge. Tínhamos outras prioridades e, se bem me lembro, fotografia nunca foi uma das tuas especialidades.
Só que ontem não tiveste hipótese e aposto que mesmo assim te divertiste à grande a trepar muralhas, preocupadíssima a pensar como as defendiam os pobres dos soldados que de madrugada, ao frio, tinham que o fazer, apressados. Coitados…!
Nem as vertigens te impediram de me acompanhar e procurar a melhor vista, com sabor a conquista.
Qual mouras encantadas, era ver o vento a levantar cabelos e nós ali, pelo pôr-do-sol aprisionadas à espera dos cliques mais belos.
O ambiente daquele lugar é mágico, desde que te abstraias das pedras do chão desniveladas que só na tua cabecinha podem resultar em algo trágico.
O “BQ” portou-se à altura da colina e registou todos os momentos, mesmo que agora presuma não me possa ver durante uns tempos.
No fundo, no fundo, até acho que vai ter saudades minhas porque não é todos os dias que a sua câmara tem a possibilidade de focar tão belas linhas.
Não existe, de facto, melhor vista da nossa cidade do que aquela e, se não fosse a minha veia saudosista, aposto que tão depressa não voltavas a apreciá-la.
Daqui a mais 20 anos, podemos lá voltar e comprovar que continuamos engraçadas e atletas, capazes de percorrer muralhas às gargalhadas.
Até lá, não esquecer que no roteiro se segue a Torre de Belém, com vista para os pastéis que o “BQ” vai fotografar porque, obviamente, o vou lá levar.
Posto isto, e até à próxima tropelia, por este dia e pela tua companhia, muito obrigada, minha querida amiga Maria! 

    
Sofia Cardoso
15 de março de 2015


Sem comentários:

Enviar um comentário