terça-feira, 7 de julho de 2015

No kiss

Desapareceu o beijo.
Foi-se, não o vejo.
Deixou os meus lábios
Que se achavam sábios.

Nem sequer o procuro.
Ergueu-se um muro,
Que não me apetece subir.
Prefiro, antes, sorrir.

Um beijo exige entrega
E, por agora, estou cega.
À volta, nada vejo,
Nem tão pouco desejo.

Muito menos o lamento.
Estar só não é tormento.
É uma aprendizagem,
De muitas, desta viagem.

Não o vou roubar,
Nem a sua falta chorar.
Um dia que apareça,
Talvez me apeteça.

Até lá, há caminho
E outras formas de carinho.
Quem agora o tem,
Que o goze muito bem.

Diante deste mar,
Não me ouso queixar.
Sinto-me muito amada,
Mesmo sem ser beijada.





Sofia Cardoso
06 de julho de 2015

Sem comentários:

Enviar um comentário