terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Meia-Noite, Meia-Eu

É quase meia-noite…

E ligo para onde?
Será que no Céu me atendem?
E peço para falar com quem?
Com a estrela que mais se esconde?
E se te conseguisse descobrir?
Perguntar-te-ia como te atreveste a partir?
Ou dar-te-ia os parabéns pelos 66 que farias?
E, tu, o que responderias?
Como te tens desenrascado sem mim?
Continuas a fazer tudo o que deves, tintim por   tintim?
E, eu, ficaria sem resposta?
Dir-te-ia que estes dois anos sem ti têm sido uma
bosta?
Irias mesmo querer saber?
Se te contasse, tens consciência do que irias sofrer?
E isso diminuiria, a dor, a saudade?
Encurtaria a distância da felicidade…?

É meia-noite…

Não tenho para onde ligar.
Vou limitar-me a adormecer,
Acreditando que o meu beijinho te vai chegar
Porque algures me estarás a ver escrever…

Sofia Cardoso
09 de dezembro de 2014

2 comentários: